Categoria: O Boné do Bufão

O humor dominando

tango

O Diário Catarinense também passa a usar caricaturas coloridas ou em preto e branco, tanto na primeira página do jornal como em capas de produtos, como os cadernos de Economia, de Variedades, de Esportes. Muitas vezes isso também ocorria em suas páginas internas, nas edições diárias. Essa ilustração/charge foi para uma matéria especial de política, das relações Brasil e Argentina caricaturando Sarney e Alfonsin.

A força de Obelix

obelix

A definição do forte em Obelix está em seu tronco, é grande, os braços são grandes, mas as pernas pequenas e finas em um forte contraste, e muito agradável, com o todo. Já Gerard Depardieu ficou excelente como Obelix, da cintura para cima, pois as pernas humanas quebraram a harmonia da proporção, desequilibrando com seus contrastes e variações de formas como no Obelix desenhado, caricaturado, pois a percepção visual de quem vê o desenho já tem o conceito do forte do todo apenas no detalhe.
E o conceito para a estrutura do desenho de humor, agora em se tratando do corpo, vale o mesmo em relação ao rosto: se o tronco é estruturalmente grande, aliviar os membros inferiores, braços finos, mãos grandes, braços fortes, mãos que terminam menores, sempre na busca dos contrastes, sempre lembrando que é humor, a possibilidade do re-desenho de um corpo e deixá-lo mais engraçado.

Gente de peso

“Não exis1valentete humor a favor” é uma máxima que se tornou popular, no Brasil, a p

artir do Pasquim, mas é uma ideia universal. Que é complementada pela frase que o Millôr Fernandes cunhou: “Jornalismo é oposição, o resto é armazém de secos e molhados”. Talvez por isso o cartum, a charge, a caricatura estejam tão ligados ao jornalismo, a ponto de serem consideradas “de casa” nos veículos sérios de comunicação jornalística. Em qualquer plataforma.
Com essas palavras, e outras tantas mais :) , Cesar Valente apresenta O Boné do Bufão. Um orgulho contar com ele. Obrigado

 

Ilustração infantil

sapos

Se no desenho de humor mais caricato o foco é o indivíduo, o estereótipo a ser caricaturado onde muitas vezes o cenário pode ser um sofá e uma mesinha de centro em frente a uma televisão para representar uma sala, no desenho infantil é necessário o ilustrador partir para uma pesquisa maior, buscar imagens que possa usar como referência e fazer seu painel semântico, estudar a arquitetura muitas vezes, indumentárias e paisagens locais.
O antropomorfismo (atribuir características humanos em deuses, animais ou até elementos da natureza) é um recurso muito usado, no caso da universo de Regina Carvalho, que cria um mundo em torno de um brejo onde vivem seus sapos, esse recurso é usado para que as crianças possam se identificar com a história

Desenho para a Playboy

PlayboyPara desenhar humor escolha o seu biotipo, observe as pessoas, suas posturas, manias e características físicas e crie um universo bem pessoal, talvez perca alguns amigos, mas o divertimento está garantido. :)